PROCEDIMENTOS

Vamos conhecer mais sobre cada procedimento?

Punções e biópsias de mama

PAAF é um procedimento diagnóstico e/ou terapêutico. É realizada uma punção com agulha fina da alteração mamária, como cistos ou nódulos. Biópsia mamária (core biopsy) é um procedimento realizado com agulha mais grossa que serve para retirar amostras de pequenos fragmentos de lesões suspeitas.

As amostras são encaminhadas ao patologista para realizar a análise anatomopatológica e/ou citopatológica, essa análise irá dar o resultado se a lesão é benigna ou maligna. O procedimento é feito com anestesia local. A recuperação geralmente é rápida mas é necessário repouso dependendo de cada caso. Os riscos do procedimento são pequenos. Em raros casos podem acontecer complicações do procedimento.

 

Cirurgias de alterações benignas mamárias

Exérese de nódulos, ductos terminais, mama acessória e supranumerária.

Muitos nódulos benignos tem indicação de exérese. Exérese de nódulos é a retirada completa de um nódulo mamário. É necessário um corte na mama, que geralmente é pequeno e segue a anatomia mamária.

A exérese de ductos terminais é a retirada cirúrgica de ductos da mama que se  localizam na porção retroareolar (atrás do mamilo aréola). Esta é uma cirurgia com indicações bem específicas.

Exérese de mama acessória e supranumerária é a retirada de tecido mamário que se desenvolve fora da topografia mamária.  
Estes são procedimentos que requerem cuidados pós operatórios como repouso, cuidados especiais com higiene e cicatrização,  necessidade  de afastamento das atividades laborais por um intervalo de tempo curto.

Cirurgia para diagnóstico de lesões suspeitas

Setorectomia por agulhamento mamário

Existem alterações mamárias suspeitas que apenas exames de imagem são capazes de identificá-las. Algumas dessas alterações tem indicação de procedimento cirúrgico para o diagnóstico anatomopatológico. Quando indicada, a paciente é submetida à mamografia ou ecografia para identificação da lesão suspeita onde é realizada a inserção de um fio/agulha (muito fina) que servirá de guia para a cirurgiã no momento da cirurgia.

 Cirurgia para tratamento do Câncer de Mama

Setorectomia, mastectomia, adenomastectomia e investigação de linfonodo sentinela axilar

Após o diagnóstico estabelecido de câncer de mama, muitas pacientes tem indicações cirúrgicas. A setorectomia é a retirada do tumor mamário com uma margem de segurança.
 
A mastectomia é a retirada do tecido mamário, incluindo pele areola e mamilo.
 
Adenomastectomia é a retirada da glândulas mamária, poupando (quando possível) a pele, a areola  e o mamilo. Cada paciente terá sua indicação levando-se em conta inúmeros fatores que serão avaliados na consulta com a mastologista.

Existe a necessita de investigação do linfonodo sentinela, que é o primeiro linfonodo da axila para o qual drenam os vasos linfáticos provenientes da mama, portanto o primeiro lugar a ter metástases. Na cirurgia, este material é avaliado pelo patologista e conforme o resultado é optado por esvaziamento axilar ou não.

Cirurgia reconstrutiva da mama

Cirurgia recontrutiva com próteses, expansor e retalhos autólogos

Existem várias técnicas utilizadas para a reconstrução mamária. A melhor técnica será avaliada pela mastologista levando-se em conta inúmeras características, em especial as características da paciente e do próprio câncer de mama. O momento ideal da realização da reconstrução também será individualizado a cada paciente, podendo ser realizado no momento da mastectomia ou adenomastectomia ou após essa cirurgia.

Com o objetivo de reconstruir a nova mama, pode-se utilizar técnicas de inserção de expansor tecidual, prótese mamária ou reconstrução com retalhos autólogo.

Cirurgia oncoplástica mamária

Cirurgia oncoplástica em cirurgia conservadora e mastectomia

Em uma mesma cirurgia é possível obter um tratamento oncológico cirúrgico seguro do câncer de mama e um remodelamento adequado que melhore a estética mamária. A integração de técnicas de cirurgia oncológica e técnicas de cirurgia plástica é chamada de Cirurgia Oncoplástica. Ela surgiu com o intuito de melhorar o remodelamento mamário das mulheres submetidas as cirurgias do câncer de mama, sem comprometer o resultado cirúrgico oncológico. Permitindo a realização da cirurgia na mama com câncer e a redução da outra mama a fim de deixar as mamas com um aspecto estético satisfatório, chamada mamoplastia ocoplástica.

 

Reconstrução do complexo areolomamilar

Existem algumas formas de reconstruir o mamilo e a áreola. Pode-se realizar a reconstrução cirúrgica com tecido da própria mama, com tecido da mama contralateral ou de outras partes do corpo. Aliado a técnica cirúrgica, existe o melhoramento com técnicas de micropigmentação paramédica 3D e/ou tatuagem.